É hora de pensar no Partido Político.

Muito mais importante do que a questão ideológica, temos que ver a pragmática. Queremos vencer as eleições!

Nas Eleições Municipais de 2020 não haverá mais as coligações proporcionais e cada partido será independente ao lançar os seus candidatos.

Há de observarmos a quantidade de vagas disponíveis na câmara municipal para determinarmos a quantidade de candidatos que cada partido poderá lançar.

Isso mesmo, há agora uma limitação de quantidade de candidatos por partido ao cargo de vereador.

Com a mini reforma política, os partidos não mais poderão se coligar em eleições proporcionais. Isso não significa que o sistema proporcional deixará de existir, mas apenas que os partidos concorrerão em chapas separadas, sem alianças. Ou seja, contarão apenas com seus próprios votos.

E por que estamos chamando a atenção para isso?

Veja bem: Suponhamos que na sua cidade há 11 vagas na câmara municipal. Então cada partido poderá lançar 150% das vagas disponíveis. 11 x 150% = 16,5. Iremos arredondar para 17 candidatos por partido. Vale lembrar ainda que dessas 17 vagas a candidatos ao cargo de vereador, supondo que essa chapa seja majoritariamente composta por homens, 30%, NO MÍNIMO, deve ser suprido por mulheres, sendo assim em uma cidade com 11 vagas para vereadores terão 12 candidatos e 5 candidatas, que totalizará 30,3%, caso o partido tenha apenas 12 homens e 4 mulheres, a proporção será de 24,2%, o que não será aceito pela justiça eleitoral, nesse caso há duas possibilidade para regularizar a situação: 1ª: Haver mais uma mulher candidata. 2ª: Exclui um candidato homem, ficando 11 homens e 4 mulheres, a proporção será de 33,3% de mulheres.

Veja bem, ainda no exemplo de uma cidade com 11 vagas, se o seu partido tiver 15 pessoas, todos homens, querendo ser candidatos, desses 15 apenas 11 poderão ser candidatos e necessariamente há de haver 5 mulheres para serem candidatas, lembrando que não pode haver candidatura de laranjas, isso está sujeito a cassação de toda chapa. Nesse caso hipotético, a direção do partido deverá escolher quem deverá ou não ser candidato, e isso é de decisão específica do partido.

Agora vamos supor que não há no partido 5 mulheres para serem candidatas, o que o partido deverá fazer? O partido deverá reduzir ainda mais o número de candidatos homens até que a porcentagem de homens e mulheres sejam 70% e 30% respectivamente.

REGRA: A taxa para candidatura feminina é de 30% MÍNIMO, pode ultrapassar tranquilamente essa taxa, só não pode ser menor que isso.

Veja o nosso Infográfico

Aqui apresentaremos a taxa MÍNIMA de candidatura feminina em situações mais frequentes no Brasil:

Mas qual é a importância disso e de se escolher um partido?

A grande questão é o que você tem para oferecer ao partido. E isso é em questão de quantidade de votos. Se você for considerado um candidato mediano e pouco visto pelo seu partido e se houver a necessidade de a direção partidária ter que escolher quem poderá ou não ser candidato, onde você ficará nessa história? Será escolhido para ser candidato ou será excluído do pleito?

O que tenho visto nesses últimos meses é que os partidos tem procurados muitos pré-candidatos para se filiarem, mas o que nem o partido e nem o pré-candidato tem se dado conta é que terão essa limitação. Partidos muito grandes ou partidos da “situação” são mais desejados pelos pré-candidatos, causando uma filiação em massa, mas o que pode ocorrer nas eleições de 2020 é que terão pré-candidatos que não poderão ser candidatos. Que gastaram tempo e dinheiro em sua pré-candidatura, pré-campanha e que no momento de oficializar a sua candidatura não poderão se candidatar e pelo prazo não poderão mudar de partido, pois será tarde demais. Partidos de predominância masculina também enfrentarão esse problema, pois ainda não estão se preocupando com a proporção de homens e mulheres.

O sistema de candidatura do TSE não aceita 29,9% de candidatas, tem que ser 30% ou superior a isso.

Então, a dica é: antes de se filiar a um partido, observe essas condições, converse com a diretoria do partido e marque a sua posição, não corra o risco de trabalhar arduamente em sua pré-campanha e quando chegar o período de registro de candidatura você não ficar de fora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *